quinta-feira, 2 de agosto de 2012

3.20 POEMAS PORNOFONOLOGICOS




poema rascunho II



A GENTE
SE COME
.
.
.

A GENTE
SE BEBE
.
.
.

NA ARTE
DE FAZER
AMOR
! ! !

A GENTE
 SE P!NTA
A GENTE
  B R ! N C A
SE MELA DE COR
SE MELA DE T!NTA
P!NTAMOS
OS 7
NA LUD!CARTE
DA PA!XAO
!
!
!



-c.p.b.p.jr:
(O POETA-MATUTO-MARG!NAL !!!



  


memória de minhas putas alegres



QUANDO EU ME FOR
EU QUERO PERMANECER V!VO
NA MEMOR!A DE M!NHAS ALEGRES PUTAS
.

QUANDO EU PART!R DESTA PRA MELHOR,
OU PRA P!OR SE !SSO EX!ST!R
EU QUERO RES!ST!R NO R!SO
D!TO GARGALHADO DAS P!ADAS
MAU CONTADAS Q TENTE! P!TAR
NA MEMOR!A DE M!NHAS ALEGRES PUTAS
.

QUANDO EU ME PERDER NA AMPL!DAO DESSE TREM DAs 7
EU QUERO SER ETERNAMENTE PEDR!F!CADO
NOS DESL!ZES DESPERCEB!DOS
NOS V!C!OS COMPART!LHADOS
NAS PROMESSAS DE AMORES QUEBRADOS
NAS JURAS DOS AMORES ADORADOS
NA MEMOR!A DE M!NHAS ALEGRES PUTAS
.

QUANDO EU V!AJAR LA PRO LADO DE LA
NU ETERNO TRANSTORNO
DESSA V!AGEM SEM RETORNO
O Q EU QUERO E SER LEMBRADO
NUS GALANTE!OS MAL ELABORADOS
NAS CANTADAS DE CARA LAVADA, D!SCARADA
NUS VTRUP!COES OU NAS QUEDAS
NU ASSOV!O DE PASSAR MAO BOBA
NA BUNDA DE DEBUTANTESACANAS
NA MEMOR!A DE M!NHAS ALEGRES PUTAS
.

PO!S QUANDO EU JA NAO EST!VER
EU QUERO VOS TER A!NDA
NU ETERNO SORR!SO DE MOMENTOS
ENTERCOMPART!LHADOS
EU QUERO E V!VER NESSE R!SO
A L E G R E M E N T E
LEMBRADO Y GARGALHADO
NA MEMOR!A
DE M!NHAS
P U T A S
ALEGRES
!
!
!



-c.p.b.p.jr:
(O POETA-MATUTO-MARG!NAL !!!)





Foi sol aí... (canção de amor puro)



PO!S QUANDO O AMOR
BR!LHOU...
NO SOL Q HA
EM M!M...
FO! SO A!...
Q EU CONHEC!
...ANA
.

ANA Q R!A; OH! MEN!NA !!!
(SEMPRE DAS M!NHAS TOLAS,
ANT!GAS, REC!POCRAS TEOR!AS)

ANA Q !A; OH! MEN!NA !!!
(DEVAGAR!NHO ME CONQU!STANDO
Y CONSUMANDO M!NHA CENTELHA L!MP!DA)

ANA Q QUER!A; OH! MEN!NA !!!
(A ESPERANÇA EQU!L!BR!STA NA
PERSEVERANÇA DOS FRUTOS-FUTUROS
DE D!AS MELHORES ME CONSSUMANDO
SOL  ASS!M)

ANA CHEGOU
TAO CALMA Y TAO DESCALÇA
100 CALÇA
SERENA Y SENHORA
MEN!NA MALANDRA
TAL QUAL A MADRUGADA...

ANA ME CEGOU
OS OLHOS
COM SUAS LENTES
DE CONTACTOS ENEGREC!DAS
.
.
.

ANA ME MARCOU
NA PELE
A FER!DA ENALTEC!DA
DA COR DO SOM
.
.
.

A TERRA
FO! NOSSA CAMA
DAS ESTRELAS, ELA FEZ CORT!NA
COM O CEU, O TELHADO
Y O MUNDO TODO ELA ME DEU
COMO CASA PRA MORAR
 ( Y AMAR; Y AMAR...)
.



-c.p.b.p.jr:
(O POETA-MATUTO-MARG!NAL !!!)
XIX-VIII-MMVII

2 comentários:

  1. Ana
    Ana que ia
    Ana que ria
    Ana queria
    Anarquia!

    Valmir Jordão
    :)

    ResponderExcluir
  2. ISSO MESMO CAMARADA !!!
    INSPIRAÇAO Q VEIO DO VALMIR JORDAO.

    ResponderExcluir